O que toda a mamãe de primeira viagem precisa saber?

A chegada do primeiro filho é um misto de sentimentos. Cada mulher tem suas dúvidas sobre a maternidade e recebe uma série de conselhos que, muitas vezes, podem mais confundir do que ajudar. 

 

Para te ajudar nesse momento tão importante, separamos algumas dicas essenciais para que a sua experiência com a maternidade seja segura e consciente, proporcionando toda a saúde e cuidados necessários. Boa leitura!

 

A importância do pré-natal para as mamães de primeira viagem

 

Você sabia que o pré-natal é um acompanhamento muito importante para a gestação? Esse período é uma estratégia médica para a redução da mortalidade materna e a garantia de uma gestação sem riscos. 

 

O pré-natal pode ser feito de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde, o SUS, que oferece um acompanhamento completo, onde é possível solicitar exames, medicamentos, se necessário, e acompanhar todo o desenvolvimento do bebê. 

 

Como o SUS pode atender as mamães de primeira viagem? 

 

Para a gestante ter acesso ao pré-natal pelo SUS, é importante que ela faça o seu cartão do SUS. Com o cartão em mãos, a futura mamãe só precisa ir até a unidade de saúde mais próxima para iniciar o pré-natal. 

 

Buscar o conhecimento médico pode ajudar as mamães a se manter informada, buscando sempre o melhor para a sua gestação. Por isso, é importante também ficar atenta aos principais mitos e verdades sobre a gestação. 

 

Mitos e verdades sobre a primeira gestação

 

Existem muitas crendices populares que podem confundir as mamães de primeira viagem. Para isso, separamos as mais comuns para você ficar atenta e saber o que pode ou não contribuir para uma maternidade segura. 

 

“Se a barriga estiver pontuda, é menino. Se estiver arredondada, é menina”. MITO

 

Muitas mamães já escutaram isso durante a gravidez, mas a verdade é que a definição do sexo do bebê só ocorre através de exames médicos. Não existe nenhum estudo que comprove outros métodos para descobrir se é menino ou menina. 

 

“O feto consegue sentir quando a mulher está em uma relação sexual”. VERDADE

 

O bebê é capaz de sentir o prazer que a relação sexual proporciona à mulher. Ou seja, se a relação proporcionar um bem-estar à mamãe, o bebê sentirá esse relaxamento. A relação sexual é permitida durante a gravidez, desde que não existam restrições médicas. 

 

“Se a mulher tiver o primeiro filho de cesárea, ela não pode ter o segundo de parto normal.” SERÁ? 

 

Para responder a essa pergunta, o canal do YouTube Poder de Mãe, apresentado por Ivesile Fonseca, que é mãe, advogada e professora, recebeu uma especialista para falar sobre o assunto. 

 

Quem vai comprovar se isso é um mito ou verdade é Debora Farias, enfermeira e mãe de dois filhos, e também vai dar dicas muito importantes para uma gestação segura para as mamães de primeira viagem. 

 

Acesse o vídeo aqui 

 

SAIBA TUDO: DÚVIDAS DA MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM | PODER DE MÃE

 

Acompanhe o canal do Poder de Mãe no Youtube e tenha acesso a informações essenciais para uma maternidade saudável e consciente. 

O que você precisa saber antes de solicitar o auxílio-maternidade

A maternidade representa para as mulheres uma série de desafios. Cuidar de um filho é uma responsabilidade que exige preparo e segurança, e pode tomar cada vez mais o tempo das mamães, que muitas vezes precisam escolher entre o trabalho e o papel de cuidadora.

 

Para garantir a segurança da mulher nesse período, existe um direito que é capaz de contribuir com a renda da família, oferecendo a possibilidade de um cuidado integral tanto para a mamãe quanto para o bebê.

 

O auxílio-maternidade é um benefício garantido por lei, mas muitas mulheres têm enfrentado dificuldades para conseguir a liberação do auxílio. 

 

Para saber quais são essas dificuldades e como receber o seu auxílio-maternidade de forma segura e sem burocracia, continue a leitura deste artigo. 

 

O que é o auxílio-maternidade?

 

Garantido por lei, o auxílio-maternidade é um benefício pago pelo INSS para as mulheres que ficaram desempregadas durante a gestação, como forma de garantir a integridade da mulher durante a gravidez e preservar a saúde e o bom desenvolvimento do bebê. 

 

O auxílio-maternidade também pode ser solicitado após a gestação. A lei prevê que mães com filhos de até 5 anos de idade, que ficaram desempregadas durante a gestação, têm direito a esse benefício. 

 

Qual é o valor do auxílio-maternidade?

 

O valor do benefício é calculado a partir do tempo de contribuição da mulher, ou seja, durante quanto tempo ela trabalhou com carteira assinada ou contribuiu para o INSS. 

 

É importante lembrar que, mesmo se a mulher tiver trabalhado ao menos um dia de carteira assinada, ela tem o direito de receber o auxílio-maternidade.

 

O pagamento do benefício pode variar de R$ 4.400,00 até R$ 13.399,97, contribuindo diretamente para a segurança da mulher durante toda a maternidade. 

 

Como solicitar o auxílio-maternidade em 2022?

 

Para iniciar o processo de liberação do benefício, muitas mamães e gestantes enfrentam um problema em comum. Ao buscarem o melhor para os seus filhos, reivindicando um benefício que é um direito, acabam encontrando dificuldades.

 

Ao solicitar o auxílio-maternidade sem a ajuda de uma assessoria especializada, muitas mamães relatam que tiveram o seu benefício negado ou bloqueado pelo INSS. Isso porque ainda existe muita burocracia no processo, que dificulta a liberação do dinheiro. 

 

A G7 Assessoria pode mudar essa realidade

 

Há mais de 8 anos no mercado, a G7 Assessoria Previdenciária é referência em auxílio-maternidade, com uma equipe especializada nos direitos do cidadão.

 

Atendemos mais de 23 mil brasileiros, onde 98% dos nossos clientes conseguiram a liberação do benefício. A próxima mamãe a ser contemplada pelo benefício pode ser você!

 

Para entrar em contato com a nossa equipe é muito fácil, basta acessar o nosso site e clicar nos botões de atendimento, onde em instantes um especialista vai te passar todas as informações necessárias. 

Gravidez no inverno: conheça os principais cuidados

A gestação é um momento decisivo na vida de toda a mulher, que passa a encarar os cuidados com a saúde de outra forma. Afinal, tanto a mamãe quanto o bebê precisam receber toda segurança necessária durante o desenvolvimento. 

 

Com a chegada do inverno e de temperaturas mais baixas, existem alguns cuidados que são essenciais para as mamães, que precisam ser tomados para evitar possíveis sintomas que possam interferir na gestação. 

 

Para conhecer a melhor forma de se cuidar no inverno, separamos algumas dicas importantes para todas as mamães que vão passar os dias frios durante a gestação. Continue a leitura!

 

Cuidados com a pele durante o inverno 

 

Com as temperaturas baixas, existe uma tendência natural da pele de ficar mais ressecada, isso faz com que os hidratantes se tornem os melhores amigos das grávidas nesse momento. 

 

Além de cuidar das aparências, as gestantes precisam se atentar a hidratação do corpo. É comum que, durante o inverno, o hábito de beber água diminua, mas isso não pode acontecer durante a gravidez, pois pode prejudicar o bebê. 

 

Dicas para alimentação de gestantes durante o inverno

 

Uma dica importante para manter a hidratação no inverno é tomar chás, que podem trazer uma série de benefícios para a saúde. Porém, as gestantes devem evitar os chás mais escuros, como o mate, devido a alta concentração de cafeína. 

Alimentos com alto teor de sal também devem ser evitados durante o inverno, pois a pressão arterial costuma subir em dias mais frios. Para evitar gripes e resfriados, as gestantes devem introduzir alimentos ricos em vitamina C na alimentação. 

 

As melhores roupas para as gestantes nos dias frios 

 

Para se agasalhar da melhor forma em dias frios, é recomendado que as gestantes apostem nas sobreposições. Dessa forma, se começar a se esquentar, fica mais fácil retirar as peças. 

 

Outra dica importante é optar por peças de algodão para manter o conforto, além do uso de meias finas ou elásticas para prevenir o surgimento de varizes. 

 

Vantagens da gestação no inverno 

 

Você conhece as maiores vantagens para as mulheres que vão passar o inverno grávidas? Essa época do ano é mais confortável para as gestantes pois diminui os inchaços, que são característicos de temperaturas altas. 

 

Além disso, o sono da gestante costuma melhorar nos dias frios, onde os quartos ficam na temperatura ideal para um sono restaurador. 

 

Acompanhe o blog da G7 Assessoria Previdenciária e conheça mais dicas sobre maternidade!

Os principais cuidados com a respiração do bebê nos primeiros meses

Com o nascimento de um filho, existem uma série de preocupações que podem tirar o sono de muitas mamães. 

 

Você provavelmente já ouviu histórias de mamães que acordam durante a noite para checar a respiração do bebê ou, até mesmo, colocar um espelho na frente do nariz para verificar se ele está respirando normalmente. 

 

Neste artigo, vamos te explicar detalhadamente quais são os principais cuidados para identificar uma respiração saudável dos bebês. 

 

Como saber se o bebê está respirando normalmente? 

 

Antes de verificar a respiração do bebê, é importante saber que a frequência da respiração dos pequenos é diferente da nossa. Um bebê é capaz de respirar cerca de três vezes mais rápido que um adulto. 

 

Na fase adulta, a respiração acontece entre 16 e 20 vezes por minuto. Enquanto um bebê, geralmente, respira em torno de 30 a 60 vezes por minuto, considerado pelos pediatras como um tipo de respiração abdominal. 

 

A frequência de respiração da criança vai diminuindo com o tempo e, por volta dos 9 anos, começa a entrar no ritmo da respiração de um adulto. 

 

É necessário checar a respiração do bebê durante a noite? 

 

Muitas mamães têm essa preocupação para garantir a segurança do bebê, mas será que é realmente necessário? Os pediatras indicam que essa prática deve ser realizada exclusivamente para bebês prematuros ou com condições respiratórias especiais.

 

Em outros casos, quando o bebê não tem nenhuma doença respiratória diagnosticada, não é necessário a checagem durante a noite. 

 

Alguns bebês podem se mover bastante ou ter o ritmo da respiração alterado, mas isso pode acontecer devido aos estágios do sono que o bebê costuma passar durante a noite. 

 

Dicas para saber se a respiração do seu bebê está normal  

 

A respiração saudável de um recém-nascido costuma ter mais de uma característica, ela pode variar de uma respiração mais profunda, com intervalos mais rápidos, que estão diretamente relacionados aos estímulos do bebê. 

 

Para saber se o ritmo da respiração da criança está normal, separamos três dicas rápidas que podem te ajudar: 

 

Com os ouvidos levemente próximos do nariz e boca do bêbê, tente identificar o som da respiração, se existem momentos mais curtos e profundos. 

 

Nesta posição, olhe para o peito do bebê e repare se existe o sobe-e-desce característico da respiração. 

 

Por último, aproxime a sua bochecha ou até mesmo as mãos perto do nariz e boca do bebê, e tente sentir a respiração contra a pele. 

 

Uma maternidade segura garante a saúde do bebê

 

Caso exista alguma alteração na respiração do bebê, é importante procurar um médico imediatamente. Para esse tipo de cuidado e atenção, muitas mamães podem contar com benefício que é um direito garantido por lei. 

 

Para saber mais sobre o auxílio-maternidade, faça a nossa AVALIAÇÃO GRATUITA e saiba se você tem esse direito. 

É possível ser mãe e ficar livre das preocupações?

Durante a maternidade, a mulher costuma passar por uma série de questionamentos e dúvidas. Afinal, são muitos cuidados que devem ser tomados, tudo para garantir que o bebê venha com saúde e o parto seja feito com segurança. 

 

Dessa forma, parece quase impossível colocar “ ser mãe” e “livre de preocupações” na mesma frase, não é? Sabemos que muitas dessas preocupações são cuidados em excesso, para que não falte nada. 

 

Se preocupar faz parte de ser mãe, mas você sabia que é possível contar com um direito que pode aliviar a sua preocupação financeira? Para saber mais sobre, continue a leitura!

 

O que é auxílio maternidade? 

 

Também conhecido como salário-maternidade, esse benefício é voltado para as mamães que já contribuíram para o INSS, mas que estão desempregadas durante a gestação. O auxílio garante uma maternidade segura, para que todos os cuidados sejam supridos. 

 

Qual é o valor do auxílio maternidade?

 

A quantia que cada mamãe vai receber pode variar. Isso porque o cálculo do auxílio maternidade depende do tempo de contribuição, onde é considerado o tempo em que a mulher trabalhou com a carteira assinada. 

 

Alguns valores podem ser maiores do que outros, mas todos são de grande ajuda para esse momento. Com a assessoria previdenciária da G7, os valores que as mamães recebem costumam variar de R$ 4.400,00 a R$ 8.900,00. 

 

Como solicitar o auxílio maternidade? 

 

Para saber se você tem direito a esse benefício, a G7 Assessoria Previdenciária conta com uma equipe especialista no assunto, que pode te ajudar durante todo o processo. Dessa forma, o seu pedido é encaminhado com rapidez e você recebe o dinheiro sem atrasos. 

 

Acesse agora a nossa avaliação gratuita e saiba qual valor você pode receber!

PÉS INCHADOS NA GESTAÇÃO? SAIBA COMO EVITAR!

Durante a gestação, o corpo das mulheres passa por uma série de mudanças. Algumas roupas já não servem mais, os sapatos precisam ser os mais confortáveis possíveis. Isso porque os pés costumam ser a primeira região a sofrer com essas mudanças. 

 

O inchaço nos pés é uma realidade de muitas mamães, que pode causar desconforto e até indicar alguma situação mais grave. 

 

Você sabe como evitar esse incômodo nos pés? Para esse artigo, nós separamos algumas dicas que vão acabar com o inchaço nos pés. 

 

O que causa o inchaço na gravidez?

 

Com o desenvolvimento do útero, a circulação sanguínea também sofre mudanças na gestação. Isso acontece porque o útero pressiona as veias pélvicas, responsáveis pela circulação do sangue nos membros inferiores. 

 

Além do fluxo sanguíneo mais lento, o organismo na gestação costuma enviar mais água para várias partes do corpo, causando a sensação de inchaço. As regiões mais afetadas são as pernas, pés, braços e mãos. 

 

Como evitar o inchaço nos pés

 

Com uma alimentação saudável e exercícios regulares, indicados para esse momento, é possível melhorar a resistência corporal e evitar o desconforto nos pés. 

 

Para adotar essas práticas no seu cotidiano, confira agora algumas dicas simples, que você pode fazer em casa e melhorar e muito a sua saúde. 

 

Exercite a panturrilha 

 

Os exercícios localizados são importantes para desenvolver a musculatura, além de melhorar a circulação sanguínea. A panturrilha é fundamental nesse processo, pois ela é responsável por garantir o fluxo do sangue na região dos pés. 

 

Com uma panturrilha fortalecida, o desconforto e o inchaço vão desaparecer. Para isso, consulte um profissional e busque por exercícios indicados para gestantes. 

 

Adicione proteína nas refeições

 

Para garantir o fortalecimento dos músculos e, assim, evitar o inchaço nos pés, procure adicionar alimentos com teor maior de proteínas na sua composição. As carnes brancas, ovos e grãos são boas opções para incluir no cardápio. 

 

Evite andar de salto alto 

 

Muitas mamães não abrem mão do estilo, mas algumas peças podem trazer desconforto e piorar, ainda mais, o inchaço nos pés. Esse é o caso do salto alto que, se usado por muito tempo, pode dificultar a circulação sanguínea nos pés. 

 

Faça exames para identificar possíveis causas

 

Se o inchaço nos pés costuma ser frequente, é importante buscar uma ajuda médica. Esse desconforto também pode ser o sinal de possíveis doenças, como hipertensão ou problemas renais. 

 

Com os exames certos, é possível identificar a causa o quanto antes e fazer o tratamento necessário. 

 

Maternidade saudável é maternidade segura!

 

Para tomar todo o cuidado necessário nesse período, as mamães podem contar com um benefício que é um direito para todas as mulheres. Garantido por lei, o auxílio maternidade é uma solução para as mães desempregadas. 

 

Quer saber se você tem direito a esse benefício? A G7 Assessoria Previdenciária pode te ajudar durante todo o processo, basta realizar a nossa avaliação gratuita!

O auxílio maternidade garante o direito de ser mãe!

Durante a gestação, a mulher enfrenta uma série de desafios. São mudanças que podem transformar a vida das mamães, trazendo novas preocupações, tudo para garantir um mundo de amor, segurança e cuidado para o seu bebê. 

 

Para garantir que nada falte nesse momento, muitas mulheres se preocupam com o sustento da família, e uma série de dúvidas pode atrapalhar esse momento tão importante. 

 

Mas é importante manter a calma nesse momento, pois existe uma solução que é um direito para muitas mamães. 

 

Você conhece o auxílio maternidade?

 

O benefício é voltado para todas as mamães que já contribuíram para o INSS, mas que se encontram desempregadas no período da gestação. O valor do auxílio é calculado a partir do tempo de contribuição, podendo variar entre R$ 4.400,00 e R$ 8.900,00.

 

No caso das mães que precisam do benefício, mas já passaram do período de gestação, o auxílio maternidade também pode ser possível. A lei garante que o benefício pode ser solicitado até os 5 anos de idade da criança. 

 

Para saber se você tem direito ao benefício, nós da G7 Assessoria Previdenciária oferecemos uma avaliação rápida e gratuita, onde a nossa equipe vai analisar o seu caso detalhadamente e repassar as informações de forma simples e prática. 

 

O auxílio maternidade pode contribuir para a renda da sua família 

 

Para que uma mulher possa exercer o seu papel de mãe, de forma segura e sem preocupações com a renda, o auxílio maternidade pode ser a solução para esse momento. Afinal, esse é um direito garantido por lei para contribuir com a segurança de todas as mamães.

 

Com o valor recebido pelo benefício, as mulheres podem oferecer à criança todo o cuidado necessário para que ela cresça saudável, promovendo o bem-estar de toda a família. 

 

Um benefício que permite mais tempo para cuidar do seu filho

 

O desemprego é algo que pode tirar o sono de muitas mulheres, isso faz com que as dúvidas causem um certo medo de não conseguir dar conta, de não poder oferecer o melhor para o seu filho. 

 

Essa preocupação faz com que a maternidade se torne um completo desafio, fazendo com que a mulher fique sobrecarregada com as cobranças e o estresse. Ao ter direito a esse benefício, a maternidade pode se transformar em uma experiência única. 

 

Com a garantia de que o valor será recebido, as mamães podem se dedicar integralmente aos seus bebês, promovendo todo o cuidado necessário, além de fortalecer o vínculo de amor e afeto. 

 

Saiba como conseguir o auxílio maternidade

 

Para solicitar o benefício, você pode fazer a nossa avaliação gratuita. Um processo rápido, que vai ajudar a nossa equipe a entender o seu caso, explicando todos os detalhes necessários para garantir o que o auxílio maternidade chegue até você. 

 

A G7 Assessoria Previdenciária é referência em auxílio à maternidade, com uma equipe especializada, que promove um atendimento eficiente e humanizado. Entre em contato conosco e saiba como conseguir esse benefício que pode mudar a sua realidade!

Dicas para evitar o enjoo na gestação

Os primeiros meses da gestação são um período muito importante, no qual as mulheres passam por diversas transformações. Muitas delas são difíceis e exigem tranquilidade e paciência. 

 

Começando geralmente na 4ª semana de gestação, os enjoos podem incomodar e atrapalhar toda a rotina das mamães, deixando-as cada vez mais preocupadas. 

 

Neste artigo, separamos dicas valiosas para você cuidar desses sintomas. Continue a leitura!

 

Por que as grávidas sentem enjoo? 

 

Considerado um dos sintomas mais característicos da gravidez, o enjoo está relacionado à produção de hormônios durante a gestação. 

 

Como o corpo da mulher está passando por uma adaptação, o organismo começa a ficar mais sensível, reforçando a importância dos cuidados nesse momento. 

 

Como evitar o enjoo durante a gestação?

 

Para garantir uma gestação mais saudável e livre de mal-estar, confira essas dicas valiosas. 

 

Mantenha-se hidratada, mas evite excessos!

 

Para além de evitar enjoos, tomar bastante água é fundamental para a gestação. Afinal, como o corpo passa a trabalhar mais para alimentar o bebê, é importante manter-se hidratada para evitar o mal-estar.

 

Porém, o consumo exagerado de água pode provocar ainda mais enjoo, causando inchaços e náuseas. 

 

Evite ficar muito tempo sem comer

 

Com os enjoos na gravidez, muitas mulheres costumam ficar com medo de se alimentar, mas isso pode ser ainda mais prejudicial. 

 

Ao ficar muito tempo com o estômago vazio, o organismo começa a produzir ácidos que causam enjoos e desconforto, que podem piorar a situação da mulher. 

 

Para resolver esse problema, de uma forma que seja possível se alimentar de uma forma saudável, confira a próxima dica. 

 

Se alimente em pequenas quantidades durante o dia  

 

Refeições pesadas, com alimentos fortes e gordurosos, precisam ser evitadas pelas mamães nesse momento. Além de causar dores no estômago, podem induzir a doenças mais sérias como hipertensão e diabetes gestacional. 

 

Durante a gravidez, uma forma mais saudável de se alimentar é comer em pequenas quantidades. É importante distribuir essas refeições em horários diferentes, para contribuir com a nutrição da mulher nesse momento. 

 

Dê preferência para alimentos saudáveis

 

Falando em alimentação, é importante para as mamães introduzirem alimentos assados, cozidos e grelhados nas refeições. Esses alimentos são de fácil digestão e podem contribuir com fibras e nutrientes. 

 

Precisa de tempo para se cuidar? O auxílio maternidade pode ser a solução!

 

Para exercer o direito de ser mãe, todas as brasileiras podem contar com um benefício garantido por lei. O auxílio maternidade é voltado para as mulheres que estão desempregadas durante a gestação, mas que já contribuíram para o INSS.

 

O valor do auxílio maternidade pode variar entre entre R$ 4.400,00 e R$ 8.900,00. Para saber se você tem esse direito, entre em contato com a nossa equipe e solicite uma avaliação gratuita!

Grávidas podem comer chocolate à vontade?

Mamães que adoram chocolate, já sabem o que fazer na Páscoa? 

 

Nós sabemos que, para as mamães, é difícil resistir aos doces na páscoa. Afinal, os desejos aparecem e são tantas opções irresistíveis, não é? 

 

Ovos de páscoa recheados, trufados, de colher, são tantos que causam água na boca só de pensar, mas você sabe como eles podem afetar a sua gestação? 

 

Nesse período, mamãe, você não precisa passar vontade, mas é importante não exagerar. 

 

Os chocolates apresentam muito açúcar, que podem causar obesidade gestacional, diabetes e pré-eclâmpsia. 

 

Se preferir algo mais fitness durante a Páscoa, invista em ovos de chocolate amargo, que não apresentam grandes quantidades de açúcar. 

 

Caso você já esteja com o seu pacotinho de amor, saiba que também precisa tomar cuidado! 

 

Durante a amamentação, o consumo de chocolate em grandes quantidades pode causar cólicas no bebê. 

 

Agora que as mamães já sabem dessas dicas valiosas, podem aproveitar o feriado de forma segura, saudável e tranquila!

 

Você sabe a diferença entre licença e auxílio maternidade?

No processo de criar um filho, a vida da mulher passa por muitas mudanças. A rotina acaba se transformando totalmente, e se torna difícil dar conta de tudo. Por isso, algumas mamães precisam se organizar e tomar conhecimento de seus direitos. 

 

Para que a mulher possa fazer parte do cuidado de seu bebê, existem algumas possibilidades – garantidas por lei – para que ela tenha o direito de ficar o tempo necessário com o filho.

 

No caso das mamães com trabalho registrado, é possível solicitar a licença maternidade, um direito de todas as trabalhadoras, que garante o salário da funcionária enquanto ela se dedica aos cuidados do bebê. 

 

Mas, e quando a mulher não está empregada? Você sabia que é possível solicitar um benefício? Ele garante o recebimento de um valor que pode cobrir as suas necessidades.

 

O auxílio maternidade é um direito das mulheres que já contribuíram para o INSS e estavam desempregadas no momento da gravidez. O auxílio é calculado a partir do tempo de contribuição, e pode variar entre R$4.400,00 e R$8.900,00. 

 

Para saber se você tem direito a esse benefício, faça agora mesmo uma avaliação gratuita com a G7 Assessoria Previdenciária.